Laboratório de Glicobiologia
Chefe do Laboratório: Lucia Mendonça Previato
Programa Temático: Medicina Regenerativa
Docentes:
Apresentação:

Em 2000, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, foi criado o Laboratório de Glicobiologia (LABGLICO). O objetivo de nossa equipe é definir a estrutura molecular dos glicoconjugados presentes na superfície celular de microrganismos patogênicos e, relacionar a estrutura química com possíveis funções que as glicomoléculas possam desempenhar na biologia do parasita, e em doenças. Especificamente, as nossas pesquisas envolvem os protozoários parasitas da família Trypanosomatidae e espécies de fungos patogênicos do gênero Cryptococcus e do complexo Sporothrix schenckii.

Atualmente, mais uma linha de pesquisa está sendo desenvolvida no Laboratório, a Glicobiologia do Câncer, visando entender o impacto das alterações glicofenotípicas no processo de transição epitélio mesenquimal, na ativação de vias oncogênicas e no fenótipo de resistência a múltiplas drogas em células tumorais. 

Linhas de Pesquisa:
  • A glicociência, envolvendo os estudos químicos, bioquímicos e biossintéticos de moléculas contendo carboidratos de superfície de microrganismos.
  • A glicoimunologia de doenças parasitárias.
  • A glicobiologia do câncer.
  • Produtos naturais com atividades tripanocida e anti-tumoral.
Principais técnicas/metodologias utilizadas:

Cultivo de microrganismos; cultivo celular, citometria de fluxo; ELISA; PCR; RT-PCR; Western blot; zimografia; ensaios de proliferação e motilidade celular; sinalização celular experimentos in vivo; Métodos químicos e físico-químicos de análise de moléculas contendo carboidratos, proteínas e lipídios.

Modelo/Organismo de estudo:

Protozoário parasita patogênico para humanos (Doença de Chagas/Trypanosoma cruzi); protozoários parasitas de insetos; espécies de fungos patogênicos do gênero Cryptococcus/criptococose e do Complexo Sporothrix schenckii/esporotricose.

Linhagens de células tumorais humanas e murinas; mecanismo de transição epitélio-mesequimal; modelo de fenótipo de resistência a múltiplas drogas.

Cinco publicações mais relevantes do laboratório (clicar no artigo para acessá-lo):
Equipe

Pós-Docs:

Leonardo Marques da Fonseca

Kelli Monteiro da Costa

Alunos de Mestrado:

Joyce Cristina Guimarães de Oliveira.

Israel Diniz Lima

Victoria de Sousa Chaves

Alunos de Iniciação Científica:

Maria Alice Esteves

Marcos André Rodrigues da Costa Santos

Jhenifer Santos dos Reis

Corpo Técnico:

Lana Cristina dos Santos Valvano

Paulo Cesar Cordeiro

Jose Avelino

Vilma Frazão